Projeto desenvolvido no IFMT vai além da pesquisa e leva arroz à famílias carentes de Juína

Por jna Noticias 09/07/2021 - 18:50 hs

Um projeto de pesquisa aplicada e inovação científica da área das ciências agrárias desenvolvido por professores do IFMT Campus Juína ultrapassou as barreiras do conhecimento e resultou em ação social que alcançou 70 famílias juinenses em situação de vulnerabilidade.

  O projeto Intitulado “ESTUDO DO USO DE EXTRATO PIROLENHOSO PARA O DESENVOLVIMENTO E CRESCIMENTO DE PLANTAS DE ARROZ DE SEQUEIRO NA REGIÃO AMAZÔNICA” desenvolvido pelo professor Kleyton Rezende Ferreira através do edital 52/2020 da PROPES tinha o objetivo de realizar o plantio de plantar arroz de sequeiro e testar aplicações com diferentes concentrações de extrato pirolenhoso (EP) nas sementes.

  Após desenvolver todas etapas do projeto que vão desde o planejamento, preparação do solo, plantio, colheita e análise dos dados, o pesquisador resolveu doar a produção para outro projeto também desenvolvido pelo Campus Juína em parceria com o SICREDI, o “horta humanitária”, coordenado pelo professor Lourismar Martins.

  Após o beneficiado o arroz rendeu 70 pacotes, que foram entregues junto com as hortaliças produzidas pelo projeto horta humanitária à famílias em situação de vulnerabilidade da cidade de Juína. O projeto já proporciona uma alimentação mais saudável para este público desde o início da pandemia e já beneficiou mais de 2 mil famílias.

  O professor Kleyton destacou a importância de dar um viés social ao projeto após a conclusão da pesquisa “cumprimos o objetivo após a análise dos dados, então decidimos destinar a produção para somar com o projeto horta humanitária e levar um reforço para essas famílias que passam dificuldades devido a pandemia, é uma forma da instituição retribuir a sociedade”, comentou.

  O beneficiamento do arroz foi possível graças a uma parceria articulada pelo professor Fabrício Andrade que também é integrante da ação, o projeto contou ainda com a colaboração do professor Luciano Lanssanova e o acadêmico do curso de administração Gilson Dias de Souza.