Juína fechou mês de fevereiro acima da média de chuvas com 383mm; Previsão mostra mais chuvas para março

Por Jna Notícias 05/03/2020 - 13:38 hs

  O mês de fevereiro finalizou na média, ou pouco acima da média, de precipitação acumulada em algumas regiões do Mato Grosso, o que contribui para manutenção da segunda safra de 2020, onde segundo o Instituto Mato-grossense de Economia e Pecuária (IMEA), mais de 90% das lavouras de milho já foram plantadas no estado.

  Algumas cidades em diferentes regiões do estado tiveram mais de 300 milímetros acumulados em fevereiro, como é o exemplo de Juína, no noroeste do estado, que terminou o mês com 383,4 milímetros. Nova Ubiratã na região centro-leste com 363,8 mm, Sinop na região médio norte com 362 mm, e Cáceres no sudoeste do estado com 314,4 mm.

  [ 1 milímetro de chuva corresponde a 1 litro de água por metro quadrado]

  Na análise de diferentes modelos globais de previsão do tempo, a tendência para os próximos 10 a 15 dias é que os maiores volumes de chuva ocorram sobre as regiões do nordeste e extremo norte mato-grossense, que inclui cidades como Confresa, São José do Xingu, Guarantã do Norte, Alta Floresta, Apiacás e municípios próximos.

  Já a situação será um pouco diferente na região centro-sul, sudeste e sudoeste do estado que abrange municípios como Nova Mutum, Tangará da Serra, Cuiabá, Cáceres, Campo Verde, Primavera do Leste, Rondonópolis e municípios vizinhos, aonde a tendência é de chuva abaixo da média e tempo seco na maior parte do tempo nessa primeira quinzena de março. Entretanto não descarta-se a ocorrência de pancadas isoladas de chuva, ou seja, pancadas de chuva que ocorrem em um dado ponto enquanto alguns quilômetros a diante pode não chover nada (aquela chuvinha irregular como todo mundo conhece).

  Nas regiões oeste, leste, noroeste e médio norte, que incluem municípios como Sinop, Juína, Juara, Água Boa e vizinhanças, a tendência é de chuvas dentro da normalidade, oscilando com a ocorrência de dias secos e dias mais chuvosos.

  A tendência de diminuição das chuvas em algumas regiões de Mato Grosso na primeira quinzena de março se deve a configuração das fases 4 e 5 da Oscilação de Madden-Julian, fases em que ocorre a supressão da atividade convectiva nos trópicos. Na análise a médio prazo, a tendência é de que a partir da segunda quinzena, principalmente na reta final do mês de março haja um aumento das instabilidades no estado.